Queda de cabelo é uma das sequelas da Covid-19

Pesquisa aponta que 25% dos pacientes recuperados sofrem com o problema

Após pouco mais de um ano de pandemia, muitas consequências da Covid-19 ainda são estudadas. Uma das sequelas deixadas pela doença é a queda de cabelo. É o que aponta um estudo feito por pesquisadores de universidades dos Estados Unidos, do México e da Suécia, que analisaram 48 mil pacientes. O resultado apontou que 25% dos recuperados, os quais mantêm sintomas de longo prazo, acabam sofrendo com queda de cabelos.

De acordo com a médica dermatologista do Hospital Santa Maria, Livia Mafalda De Lelis Domingues, nestes casos, há dois padrões observados. “O primeiro é mais agudo e pode ocorrer de duas a seis semanas depois da infecção pela Covid-19, causando uma intensa queda de cabelo. O segundo ocorre de forma mais discreta, porém preocupante, de seis a doze semanas após a infecção. Pacientes sem sintomas de longo prazo também podem sofrer com essas consequências, de forma indireta, devido ao estresse, ansiedade, qualidade de vida e outros fatores”, afirma.

Livia destaca que os efeitos colaterais são semelhantes aos deixados no organismo pela dengue, chikungunya e zika. “Quanto mais sintomas manifestados no organismo, maior é a perda dos fios”, acrescenta.

Crescimento capilar – A dermatologista ainda pontua que o cabelo possui diversas fases. A fase de crescimento é chamada de fase anágena, e a fase de repouso e desprendimento é denominada telógena. “Quando o indivíduo possui uma infecção forte no organismo, como a Covid-19, os cabelos que estavam na fase de crescimento entram na fase de repouso e desprendimento. O fio entra nesse processo e demora até três meses para cair totalmente. Ou seja, o cabelo estava em sua fase anágena e, devido ao insulto e estresse sofridos no organismo pelo vírus, ele entra na fase telógena, ocasionando a queda de cabelo decorrente da doença”, explica Livia.

O ideal é que o paciente que teve Covid-19 e está notando queda de cabelo exacerbada consulte um médico o quanto antes. O tratamento auxilia na diminuição da queda e na reposição adequada dos fios.

Alimentação – Uma alimentação equilibrada é um dos importantes cuidados com a manutenção da saúde capilar. Na identificação da origem da queda de cabelo, a médica nutróloga e dermatologista, Aline Longatti, revela que especialistas verificam se os pacientes estão com aminoácidos, vitaminas e minerais em dia, já que a falta do conjunto pode indicar o motivo do enfraquecimento dos fios. “A anemia é um fator importante. Não há queda de cabelo que você consegue recuperar sem reposição de ferro”, aponta Aline. Além do ferro, o consumo de proteínas precisa estar em dia. “O fio de cabelo é feito de queratina, cuja matéria prima são os aminoácidos. Então, precisamos de proteínas e, por isso, dietas restritivas devem ser evitadas”, explica a médica.

Segundo ela, a presença de verduras, frutas e legumes também são essenciais para um cabelo saudável. “Neles, é possível encontrar vitaminas e minerais que permitem o crescimento e fortalecimento dos fios”, indica.

Read Previous

COPA AMÉRICA SERÁ NO BRASIL

Read Next

A Rádio Mais está no Spotify.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular